Português (pt-PT)
RSSLinkedInPinterestTwitterFacebook

Pão Guttiau e Carasau da Sardenha Pizos

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

O pão carasau é um tradicional pão sírio ou “flatbread” da Sardenha. É fino e estaladiço, geralmente na forma de um prato com meio metro de largura. É a partir de um pão achatado (preparado com farinha de trigo duro, sal, fermento e água) que é separado em duas folhas que são novamente cozidas. A receita é muito antiga e foi concebida para os pastores, que ficavam longe de casa por meses a fio. O Pane carasau pode durar até um ano se for mantido seco. O pão pode ser seco ou molhado (com água, vinho ou molhos).

O pão Guttiau também da Sardenha é semelhante ao Carasau mas sem fermento; é também conhecido como “Carta da música” em italiano, que significa "papel de música", em referência à sua forma grande e fina como papel, que é tão fina antes de cozer que uma folha de música pode ser lida através dele.

 0005 Guttiau  0001 Guttiau-Sesamo  0000 Guttiau Pizza  0004 Guttiau Rosmarino
Guttiau Guttiau com Sésamo Guttiau Pizza Guttiau com Alecrim
 0002 Guttiau Bio  0006 Guttiau Rosmarino Bio  0003 Carasau  0007 Carasau Bio
Guttiau Biológico Guttiau Biológico com Alecrim Carasau Carasau Biológico
Continuar...
 

Pão Guttiau com Sésamo Pizos

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

 0001 Guttiau-SesamoO Pão Guttiau é um tradicional pão sírio ou “flatbread” da Sardenha tal como o Pão Carasau, destinguindo-se deste por não ter fermento. Preparado de forma artesanal com sémola de trigo, azeite tradicional da Sardenha e sementes de sésamo é perfeito para acompanhar sopas, dips, saladas ou molhos.

O pão Guttiau é fino e estaladiço, geralmente preparado de forma circular com meio metro de diametro e comercializados em quartos. É a partir de um pão achatado (preparado com farinha de trigo duro, sal e água) que é separado em duas folhas que são novamente cozidas. A receita é muito antiga e foi concebida para os pastores, que ficavam longe de casa por meses a fio. O Pane Guttiau pode durar até um ano se for mantido seco. O pão pode ser consumido seco ou molhado (com água, vinho ou molhos).

O pão Guttiau é também conhecido como “Carta da música” em italiano, que significa "papel de música", em referência à sua forma grande e fina como papel, que é tão fina antes de cozinhar que uma folha de música pode ser lida através dele.

Embora a Sardenha seja uma ilha, grande parte da população ainda vive no interior, distante do litoral, algo mais seguro em tempos de guerras e invasões; é nas colinas do interior da ilha que os pastores de ovelhas "criaram" o Pane Guttiau. Este “flatbread” praticamente desconhecido até em Itália até à década de 50, tornaram-se muito apreciados por dois motivos principais: em primeiro lugar porque os italianos exilados na Sardenha por Mussolini, durante o período fascista, retornaram aos seus lares e divulgaram estas receitas tão simples e deliciosas; o segundo é que nessa mesma época, milionários de toda Europa, vindos em seus suntuosos iates, "descobriram" os encantos das praias sardas, e consequentemente a qualidade culinária do local.

 

Pão Guttiau Pizos

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

 0005 GuttiauO Pão Guttiau é um tradicional pão sírio ou “flatbread” da Sardenha tal como o Pão Carasau, destinguindo-se deste por não ter fermento. Preparado de forma artesanal com sémola de trigo e azeite tradicional da Sardenha é perfeito para acompanhar sopas, dips, saladas ou molhos.

O pão Guttiau é fino e estaladiço, geralmente preparado de forma circular com meio metro de diametro e comercializados em quartos. É a partir de um pão achatado (preparado com farinha de trigo duro, sal e água) que é separado em duas folhas que são novamente cozidas. A receita é muito antiga e foi concebida para os pastores, que ficavam longe de casa por meses a fio. O Pane Guttiau pode durar até um ano se for mantido seco. O pão pode ser consumido seco ou molhado (com água, vinho ou molhos).

O pão Guttiau é também conhecido como “Carta da música” em italiano, que significa "papel de música", em referência à sua forma grande e fina como papel, que é tão fina antes de cozinhar que uma folha de música pode ser lida através dele.

Embora a Sardenha seja uma ilha, grande parte da população ainda vive no interior, distante do litoral, algo mais seguro em tempos de guerras e invasões; é nas colinas do interior da ilha que os pastores de ovelhas "criaram" o Pane Guttiau. Este “flatbread” praticamente desconhecido até em Itália até à década de 50, tornaram-se muito apreciados por dois motivos principais: em primeiro lugar porque os italianos exilados na Sardenha por Mussolini, durante o período fascista, retornaram aos seus lares e divulgaram estas receitas tão simples e deliciosas; o segundo é que nessa mesma época, milionários de toda Europa, vindos em seus suntuosos iates, "descobriram" os encantos das praias sardas, e consequentemente a qualidade culinária do local.

 

Pão Guttiau com Alecrim Pizos

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

 0004 Guttiau RosmarinoO Pão Guttiau é um tradicional pão sírio ou “flatbread” da Sardenha tal como o Pão Carasau, destinguindo-se deste por não ter fermento. Preparado de forma artesanal com sémola de trigo, azeite tradicional da Sardenha e alecrim é perfeito para acompanhar sopas, dips, saladas ou molhos.

O pão Guttiau é fino e estaladiço, geralmente preparado de forma circular com meio metro de diametro e comercializados em quartos. É a partir de um pão achatado (preparado com farinha de trigo duro, sal e água) que é separado em duas folhas que são novamente cozidas. A receita é muito antiga e foi concebida para os pastores, que ficavam longe de casa por meses a fio. O Pane Guttiau pode durar até um ano se for mantido seco. O pão pode ser consumido seco ou molhado (com água, vinho ou molhos).

O pão Guttiau é também conhecido como “Carta da música” em italiano, que significa "papel de música", em referência à sua forma grande e fina como papel, que é tão fina antes de cozinhar que uma folha de música pode ser lida através dele.

Embora a Sardenha seja uma ilha, grande parte da população ainda vive no interior, distante do litoral, algo mais seguro em tempos de guerras e invasões; é nas colinas do interior da ilha que os pastores de ovelhas "criaram" o Pane Guttiau. Este “flatbread” praticamente desconhecido até em Itália até à década de 50, tornaram-se muito apreciados por dois motivos principais: em primeiro lugar porque os italianos exilados na Sardenha por Mussolini, durante o período fascista, retornaram aos seus lares e divulgaram estas receitas tão simples e deliciosas; o segundo é que nessa mesma época, milionários de toda Europa, vindos em seus suntuosos iates, "descobriram" os encantos das praias sardas, e consequentemente a qualidade culinária do local.

 

Pão Guttiau Biológico Pizos

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

 0002 Guttiau BioO Pão Guttiau é um tradicional pão sírio ou “flatbread” da Sardenha tal como o Pão Carasau, destinguindo-se deste por não ter fermento. Preparado de forma artesanal com sémola de trigo e azeite tradicional da Sardenha Biológicos é perfeito para acompanhar sopas, dips, saladas ou molhos.

O pão Guttiau é fino e estaladiço, geralmente preparado de forma circular com meio metro de diametro e comercializados em quartos. É a partir de um pão achatado (preparado com farinha de trigo duro, sal e água) que é separado em duas folhas que são novamente cozidas. A receita é muito antiga e foi concebida para os pastores, que ficavam longe de casa por meses a fio. O Pane Guttiau pode durar até um ano se for mantido seco. O pão pode ser consumido seco ou molhado (com água, vinho ou molhos).

O pão Guttiau é também conhecido como “Carta da música” em italiano, que significa "papel de música", em referência à sua forma grande e fina como papel, que é tão fina antes de cozinhar que uma folha de música pode ser lida através dele.

Embora a Sardenha seja uma ilha, grande parte da população ainda vive no interior, distante do litoral, algo mais seguro em tempos de guerras e invasões; é nas colinas do interior da ilha que os pastores de ovelhas "criaram" o Pane Guttiau. Este “flatbread” praticamente desconhecido até em Itália até à década de 50, tornaram-se muito apreciados por dois motivos principais: em primeiro lugar porque os italianos exilados na Sardenha por Mussolini, durante o período fascista, retornaram aos seus lares e divulgaram estas receitas tão simples e deliciosas; o segundo é que nessa mesma época, milionários de toda Europa, vindos em seus suntuosos iates, "descobriram" os encantos das praias sardas, e consequentemente a qualidade culinária do local.

 
Pág. 1 de 2

Catálogo Socilink 2019/20

Capa Catalogo Socilink 2019 20

Siga-nos no Facebook

Subscrever Newsletter



Receber em HTML?

Visitantes online

Temos 44 visitantes em linha

Estatísticas

Visualizações de conteúdos : 3383890